×

ALERGIA RESPIRATÓRIA E OBESIDADE: O PAPEL DA ALIMENTAÇÃO EM ESCOLARES

Edição:

ALERGIA RESPIRATÓRIA E OBESIDADE: O PAPEL DA ALIMENTAÇÃO EM ESCOLARES

RESUMO

Contextualização: As alterações nas práticas alimentares podem estar relacionadas ao aumento da prevalência de sintomas alérgicos. Objetivo: Avaliar a relação entre alimentação ultra processada e a presença de alergias respiratórias em escolares. Métodos: Foram avaliados 83 escolares com idade de 10,31±1,65 anos, de ambos os sexos. Foram coletados IMC, tempo de amamentação e tipo de parto. Foi utilizado o Índice Alimentação do Escolar (Ales) e o questionário ISAAC, para avaliar alimentação e presença de alergias respiratórias, respectivamente. Foi avaliado o pico de fluxo expiratório e a capacidade inspiratória. Resultados: Foi verificado presença maior de alimentação ultra processada, e a presença de asma foi baixa. O pico de fluxo foi 197,71±73,62lpm e capacidade inspiratória 1506,02±540,96 ml. Houve correlação positiva entre o tipo de alimentação e fluxo aéreo expiratório (r=0,391 e p<0,001). Conclusão: a alimentação interfere na função pulmonar se associando diretamente com a presença de limitação ao fluxo aéreo expiratório.

Descritores: Obesidade Pediátrica, Asma, Rinite, Alimentação Artificial.

ABSTRACT

Contextualization: Changes in eating habits may be related to the growth of the prevalence of symptoms allergyc. Objective: Evaluate the relationship between ultra-processed food and the presence of respiratory allergies in schoolchildren. Methods: 83 schoolchildren of both sexes at the age of 10,31±1,65  have been evaluated. BMI, breastfeeding period and type of delivery were collected. The questionnaires Índice de Alimentação do Escolar (ALES – School Child Diet Index) and the ISAAC were applied in order to evaluate feeding and the presence of respiratory allergies, respectively. Peak expiratory flow and inspiratory capacity were evaluated. Results: It was observed a greater presence of ultra-processed food, and the presence of asthma was low. Respiratory function values were 197,71±73,62 for peak expiratory flow and 1506,02±540,96 ml for inspiratory capacity. There was a positive correlation between the kind of feeding and the expiratory airflow (r=0,391 e p<0,001). Conclusion: feeding interferes with pulmonary function and it is directly associated to the presence of limitation of expiratory airflow.

Keywords: Pediatric Obesity, Asthma, Rhinitis, Processed Food.

Sobre o Autor:

Lais Fernanda Sumocoski1, Carlos Otávio Senff1, Renata Campos1

1Núcleo de Pesquisa em Saúde Coletiva e Meio Ambiente (NUPESC)/ Universidade do Contestado/Mafra/ Santa Catarina/Brasil.

 

Autor correspondente:

Renata Campos. Endereço: Av. Nereu Ramos, 1071 – Jardim do Moinho, Mafra – SC/Brasil. CEP: 89300-000, Ala das coordenações. E-mail: [email protected]