×

ALTERAÇÕES DO ESTADO DE HUMOR INTERFEREM NAS VARIÁVEIS RELACIONADAS AO EQUILÍBRIO EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

Felipe Lima Rebêlo1, Priscila Francisca da Silva2, Verônica de Oliveira Santos2, Nicole Fernanda dos Santos Lima3, Vitória Anjos da Silva3

1 Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Docente do curso de Fisioterapia da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) e do Centro Universitário Cesmac

2 Fisioterapeuta pelo Centro Universitário Cesmac

3 Graduanda em Fisioterapia pela Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal)

 

Autor para correspondência:

Felipe Lima Rebêlo

  1. da Harmônia – Farol, Maceió – AL, Centro Universitário Cesmac

Email: [email protected]

Edição: ,

ALTERAÇÕES DO ESTADO DE HUMOR INTERFEREM NAS VARIÁVEIS RELACIONADAS AO EQUILÍBRIO EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

Resumo

O processo de envelhecimento é acompanhado de alterações fisiológicas no organismo do idoso, que interferem diretamente na capacidade funcional e predispõe a fragilidades, como alterações no equilíbrio. Essas mudanças podem limitar o idoso e levá-lo a desenvolver quadros de depressão. Diante disso, o objetivo desse estudo foi avaliar a relação entre o estado de humor deprimido e as alterações do equilíbrio em idosos institucionalizados na cidade de Maceió. Para avaliação foram coletados dados socioeconômicos, demográficos e de saúde, assim como também foi aplicado uma bateria de questionários e escalas de avaliação funcional do idoso, sendo elas: o questionário Dizziness Handicap Inventory – DHI para tontura, o teste Timed Up and Go (TUG) para equilíbrio, o teste de Tinetti para fatores de risco de quedas, a Escala Internacional de Eficácia de Quedas (FES-I-BRASIL) para medo de cair e a  Escala de Depressão Geriátrica (GDS- 15) para avaliar depressão. Foi encontrado correlação negativa e significativa entre estado de humor deprimido e equilíbrio; e correlação positiva e significativa entre estado de humor deprimido com velocidade da marcha, medo de quedas e tontura. Dessa forma, conclui-se que há relação significativa entre o estado de humor deprimido e as alterações do equilíbrio, o medo de cair, tontura e diminuição na velocidade da marcha.

Palavras-chave: Envelhecimento. Institucionalização. Depressão. Equilíbrio. Tontura.

 

Abstract

The aging process is accompanied by physiological changes in the body of the elderly, which directly interfere with functional capacity and predispose to weaknesses, such as changes in balance. These changes can limit the elderly and lead them to develop depression. Therefore, the aim of this study was to evaluate the relationship between depressed mood and balance changes in institutionalized elderly in the city of Maceió. For evaluation, socioeconomic, demographic and health data were collected, as well as a battery of questionnaires and functional assessment scales for the elderly, including: the Dizziness Handicap Inventory – DHI questionnaire for dizziness, the Timed Up and Go test (TUG ) for balance, the Tinetti test for risk factors for falls, the International Scale for Effectiveness of Falls (FES-I-BRASIL) for fear of falling and the Geriatric Depression Scale (GDS-15) to assess depression. A negative and significant correlation was found between depressed mood and balance; and a positive and significant correlation between depressed mood with walking speed, fear of falling and dizziness. Thus, it is concluded that, this study demonstrated through the results of the studied sample, a significant relationship between depressed mood and balance changes, fear of falling, dizziness and decreased gait speed.

Key- Words: Aging. Institutionalization. Depression. Balance. Dizziness.