×

COMPARAÇÃO ENTRE MASSAGEM YOGA THAI E ALONGAMENTO CONVENCIONAL EM MULHERES COM DOR LOMBAR

Giovana Giongo de Oliveira1, Madeline Luiza Ferreira Pivovarsky1, Jarbas Melo Filho1,2

1 Curso Técnico em Massoterapia, Campus Curitiba, Instituto Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil.

2 Faculdade Inspirar, Curitiba, Paraná, Brasil

 

Autor correspondente:

Jarbas Melo Filho. Rua Doutor Constante Coelho, 567, Sobrado 19, Jardim das Américas, Curitiba, Paraná, Brasil. CEP: 81530470. E-mail: [email protected]

Edição:

Resumo

O objetivo foi comparar os efeitos da massagem Yoga Thai e do alongamento convencional na dor, funcionalidade, flexibilidade muscular, mobilidade e qualidade de vida de mulheres com dor lombar. Realizamos um ensaio clínico controlado, randomizado e cego, no qual participaram mulheres com dor lombar e idade entre 20 a 40 anos. Utilizamos para a avaliação a Escala Visual Numérica para intensidade da dor, questionário de Owestry para funcionalidade e questionário SF36 para qualidade de vida. A flexibilidade muscular e a mobilidade foram verificadas com os testes: comprimento muscular dos isquiotibiais e ângulo poplíteo, banco de Wells, 3º dedo ao solo, Thomas, Stibor e Schober modificado. Vinte e uma participantes foram randomizadas em três grupos: Grupo Yoga Thai – GYT (4 sessões de massagem Yoga Thai); Grupo Alongamento – GA (4 sessões de alongamento ativo estático) e Grupo Controle – GC (manutenção das atividades habituais). O GYT melhorou 65,9% a intensidade da dor, 17,7% a flexibilidade da cadeia muscular posterior e 56% o aspecto “Limitação por aspectos físicos” e 85% o aspecto “Dor” da qualidade de vida. O GA incrementou 15,5% o comprimento muscular dos isquiotibiais, 36,9% o ângulo poplíteo e 16,6% a flexibilidade da coluna vertebral. Ainda, melhorou a qualidade de vida (300% “Limitação por aspectos Físicos”, 58,2% “Aspectos Sociais” e 57,5% “Saúde Mental”). Não encontramos diferenças entre grupos. A massagem Yoga Thai foi eficaz para melhora da dor e flexibilidade, contribuindo na qualidade de vida. O alongamento incrementou a flexibilidade, colaborando também para a qualidade de vida de mulheres com dor lombar.

Palavras-chave: Lombalgia; Massagem; Exercícios de Alongamento Muscular; Ensaio Clínico.

Abstract

The objective was to compare the effects of Yoga Thai massage and conventional stretching on pain, functionality, muscle flexibility, mobility and quality of life in women with low back pain. We performed a controlled clinical trial, randomized and blind in which women with low back pain and aged between 20 and 40 years participated. We used Numerical Visual Scale for pain intensity, Owestry questionnaire for functionality and SF36 questionnaire for quality of life. Muscle flexibility and mobility were verified with the following tests: muscle length of the hamstrings and popliteal angle, Wells bench, 3rd finger on the ground, Thomas, Stibor and modified Schober. Twenty-one participants were randomized into three groups: Yoga Thai Group – YTG (4 Yoga Thai massage sessions); Stretching Group – SG (4 sessions of static active stretching) and Control Group – CG (maintenance of usual activities). The YTG improved 65.9% intensity of pain, 17.7% flexibility of the posterior chain muscle and 56% “Limitation by physical aspects” and 85% “Pain”, aspects of quality of life. The GA increased 15.5% muscle length of the hamstrings, 36.9% popliteal angle and 16.6% flexibility of the spine. It also improved the quality of life (300% “Limitation due to Physical Aspects”, 58.2% “Social Aspects” and 57.5% “Mental Health”). We found no differences between groups. Yoga Thai massage was effective in improving pain and flexibility, contributing to quality of life. Stretching increased flexibility, also contributing to the quality of life of women with low back pain.

Keywords: Low back pain; Massage; Muscle stretching exercises; Clinical trial.