×

DIFERENÇAS ENTRE O SEXO FEMININO E MASCULINO NO LIMIAR DE DOR DE PRESSÃO POR MEIO DO ALGÔMETRO DE PRESSÃO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

Edição:

DIFERENÇAS ENTRE O SEXO FEMININO E MASCULINO NO LIMIAR DE DOR DE PRESSÃO POR MEIO DO ALGÔMETRO DE PRESSÃO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

 RESUMO

O objetivo deste artigo foi verificar se existem diferenças no limiar doloroso entre homens e mulheres, utilizando o algômetro de pressão. A estratégia de busca eletrônica foi realizada por meio das bases de dados PubMed, BIREME, LILACS, MEDLINE, PEDro, Cochrane Library, SCIENCE DIRECT e Scielo no período de agosto a dezembro de 2017. Foram incluídos estudos observacionais que avaliaram as diferenças no limiar de dor a pressão através da algometria. Foram incluídos 16 artigos, 9 deles (50%) encontraram diferenças entre sexos e 9 (50%) e não detectaram diferença. Dentre esses, a justificativa por não apresentarem diferenças entre os sexos, se deve a fatores como: intensidade da dor independentemente do local de aplicação (11,11%) e fatores psicológicos (44,44%). Ainda há divergência na literatura sobre a existência ou não de diferença no limiar doloroso entre homens e mulheres. Portanto, são necessários mais estudos para determinar valores padronizados de limiares dolorosos e respectivos locais tanto na população saudável quanto com patologia pré-existente.

ABSTRACT

The objective of this study  was verify if there are differences in the pain threshold between men and women, using the pressure algometer. The electronic search strategy was carried out using the PubMed, BIREME, LILACS, MEDLINE, PEDro, Cochrane Library, SCIENCE DIRECT and SciELO databases from August to December 2017. Observational studies were carried out to evaluate the differences in the threshold of pressure through algometry. We included 16 articles, 9 of them (50%) found differences between sexes and 9 (50%) did not. Among these, the justification for not presenting differences between the sexes is due to factors such as pain intensity independent of the application site (11.11%) and psychological factors (44.44%). There is still divergence in the literature about the existence or not of difference in the pain threshold between men and women. Therefore, further studies are needed to determine standardized values of pain thresholds and their sites in both the healthy population and pre-existing pathology.

 

Palavraschaves:  pressure pain threshold, pressure algometry, pressure pain modulation, dolorimetry.

Sobre o Autor:

Letícia Bobato1, Marina Aleixo Cordeiro1, Talita Gianello Gnoato Zotz2, Ana Carolina Brandt de Macedo2

1- Acadêmico do curso de Fisioterapia da Universidade Federal do Paraná

2- Docentes do Departamento de Prevenção e reabilitação em Fisioterapia – UFPR

Autor correspondente:

Endereço para correspondência: Ana Carolina Brandt de Macedo

Rua Aristides Pereira da Cruz, 21 casa 57. Portão. Curitiba, Paraná, Brasil

CEP: 80330-290. E-mail: [email protected]