×

FORTALECIMENTO DO BÍCEPS BRAQUIAL NOS PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO DAS TENDINOPATIAS DO MANGUITO ROTADOR: REVISÃO DA LITERATURA

Edição:

FORTALECIMENTO DO BÍCEPS BRAQUIAL NOS PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO DAS TENDINOPATIAS DO MANGUITO ROTADOR: REVISÃO DA LITERATURA

RESUMO

Introdução: Dentre as patologias do ombro, a lesão do Manguito Rotador (MR) é uma das mais comuns e a causa frequente de dor crônica e perda da função do ombro. Acredita-se que a ruptura do MR tem direta relação com a cabeça longa do bíceps braquial (BB), uma vez que esse músculo deprime a cabeça do úmero durante os movimentos de elevação do braço. Existem evidências de que o BB tem funções semelhantes às dos estabilizadores da articulação glenoumeral e que o seu papel aumenta à medida que a estabilidade do ombro diminui. Ainda, em ombros com maciça ruptura de MR, é sugerido que o BB possa substituir parte da função. Portanto, deve-se considerar o fortalecimento do BB durante os programas de reabilitação para lesões do ombro, principalmente as que envolvem o MR. Objetivos: Dessa forma, o objetivo dessa revisão foi analisar na literatura atual os protocolos de reabilitação das tendinopatias do MR, e verificar se o fortalecimento do BB é adicionado dentro dos programas de reabilitação. Metodologia: Para tanto, foram utilizados artigos originais que descreviam protocolos de tratamento e que abordavam o tratamento conservador e pós-cirúrgico de lesões no MR, nos idiomas português e inglês, indexados nas bases de dados, Medline, Lilacs e Scielo, produzidos no período de 2014 a 2019, através das palavras-chave: Fisioterapia; Manguito Rotador; Reabilitação. Resultados e Discussão: A pesquisa resultou em um total de cinco artigos selecionados, dos quais quatro abordam o tratamento pós-cirúrgico e um o tratamento conservador de lesões do manguito rotador. Somente um dos trabalhos inclui o fortalecimento do bíceps braquial dentro do seu protocolo de reabilitação, entretanto, nenhuma ênfase é dada sobre esse importante músculo. Ainda, nenhum estudo comparou os resultados do tratamento com ou sem a inclusão do bíceps braquial no programa de reabilitação. Conclusão: No entanto, embora exista evidências da função do BB, apenas um estudo apresentou seu fortalecimento no protocolo, ainda que nenhuma ênfase dada sobre esse importante músculo. Dessa forma, esse tema merece o foco em novos estudos, afim de evidenciar com clareza seu benefício.

Palavras-Chave: Fisioterapia; Manguito Rotador; Reabilitação.

 

ABSTRACT

Introduction: Among shoulder disorders, Rotator Cuff (RC) injury is one of the most common and the frequent cause of chronic pain and loss of shoulder function. The rupture of the RC is believed to be directly related to the long head of the biceps brachii (BB), since this muscle depresses the humeral head during arm lift movements. There is evidence that BB has functions similar to those of the glenohumeral joint stabilizers and that its role increases as shoulder stability decreases. Also, in shoulders with massive RC rupture, it is suggested that BB may replace part of the function. Therefore, consideration should be given to strengthening BB during shoulder injury rehabilitation programs, especially those involving the RC. Objectives: Thus, the objective of this review was to analyze in the current literature the protocols for rehabilitation of tendinopathies of the RC, and to verify if the strengthening of BB is added within the rehabilitation programs. Methodology: Original articles describing treatment protocols and addressing conservative and postoperative treatment of lesions in the MR, in Portuguese and English, indexed in the databases Medline, Lilacs and Scielo, produced during the period, were used from 2014 to 2019, through the keywords: Physiotherapy; Rotator cuff; Rehabilitation. Results and Discussion: The research resulted in a total of five selected articles, four of which address postoperative treatment and one conservative treatment of rotator cuff injuries. Only one work includes strengthening the biceps brachii within its rehabilitation protocol, however, no emphasis is placed on this important muscle. Still, no study has compared treatment outcomes with or without the inclusion of the biceps brachii in the rehabilitation program. Conclusion: However, although there is evidence of BB function, only one study showed its strength in the protocol, although no emphasis is given on this important muscle. Thus, this theme deserves the focus in new studies, in order to clearly highlight its benefit.

Keywords: Physiotherapy; Rotator cuff; Rehabilitation.

 

Sobre o Autor:

Carlos Eduardo Oliveira e Silva1, Thiago Domingues Stocco1,2*

¹ Universidade Santo Amaro (UNISA), São Paulo, Brasil
2 Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), São Paulo, Brazil

Autor correspondente:

Prof. Me. Thiago Domingues Stocco.

Rua Prof. Enéas de Siqueira Neto, 340,
São Paulo – SP, 04829-300

Tel: +5511995603951

E-mail: [email protected] e [email protected]