×

PREVALÊNICA DE DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR EM PRATICANTES DE CROSSFIT®

Amanda de Oliveira Toledo1, Maíra de Oliveira Viana Rela1, Isabel de Oliveira Monteiro1, Maria de Fatima Guedes Canuto1, Leonardo Lima Aleixo1, Ticiana Mesquita De Oliveira Fontenele1

1Universidade de Fortaleza

Autor para Correspondência:

Amanda de Oliveira Toledo

Endereço: Rua Conrado Cabral 384, apto 701

E-mail: [email protected]

 

Edição: ,

RESUMO

Objetivo: Verificar a prevalência de disfunção temporomandibular (DTM) em praticantes de Crossfit®. Metodologia: Estudo descritivo e observacional, com abordagem quantitativa, realizado na cidade de Fortaleza em quatro boxes de Crossfit®, no mês de outubro de 2020. A população do estudo foi composta por praticantes da modalidade que fossem maiores de 18 anos, possuem no mínimo seis meses de prática e que não relatavam histórico de trauma na ATM. Essa pesquisa foi aprovada pela Plataforma Brasil de Pesquisa com parecer 3.645.219, respeitando a resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde. Resultados: Dos entrevistados para a presente pesquisa, 95,7% apresentaram grau de severidade de sintomas da DTM, o tempo de prática variou de 6 meses a mais de 3 anos completos. Conclusão: Pode-se observar a prevalência de sintomas da DTM em praticantes de Crossfit®, sendo as mulheres mais prevalentes do que os homens e obtendo grau de severidade entre leve e moderado.

 

ABSTRACT

Objective:  Verify the TMD prevalence in Crossfit® practitioners. Methodology:  Descriptive and observational study, applying quantitative approach, completed in Fortaleza in four Crossfit® boxes, in the month of October in 2020. Study population was composed by these modality practitioners who had at least six months of practice and that does not have a medical history of TMA trauma. This research was approved by Brazil’s national research platform     with approval number 3,645,219, respecting the 466/12 resolution in the National Health   Council.  Results:  From the pool of the present research, 95.7% showed severity degrees of TMD symptoms, the time of practice variated from 6 months to more than 3 complete years. Conclusion:  It can be observed the prevalence of TMD symptoms in Crossfit® practitioners, being women prevalent than men and obtain severity degrees between light and moderated.

Palavra-chave: Treinamento intervalado de alta intensidade; Síndrome da articulação temporomandibular; Artralgia