×

RELAÇÃO ENTRE A RETIRADA DO LEITO COM TEMPO DE VENTILAÇÃO MECÂNICA INVASIVA E TEMPO DE INTERNAÇÃO NA UTI

Edição: ,

RELAÇÃO ENTRE A RETIRADA DO LEITO COM TEMPO DE VENTILAÇÃO MECÂNICA INVASIVA E TEMPO DE INTERNAÇÃO NA UTI

Resumo

A mobilização precoce de pacientes em ventilação mecânica invasiva nas unidades de terapia intensiva tem sido apontada como um fator importante para redução nos dias de internação, ganho de força muscular e possível redução no tempo de uso da prótese ventilatória, portanto este estudo objetivou verificar a relação entre retirada do leito com tempo de ventilação mecânica invasiva e dias de internação na UTI. Foi realizado um estudo retrospectivo, observacional, mediante análise de prontuários de pacientes adultos de ambos os sexos com permanência mínima de 24 horas em UTI de um hospital público em Campo Grande – MS. Foram coletados dados sobre idade, sexo, diagnóstico admissional, comorbidades, tempo de ventilação mecânica, tempo de internação em UTI, desfecho da internação, tempo decorrido para sentar o paciente na beira do leito pela primeira vez, terapia de retirada do leito e classificação de gravidade clínica de acordo com o Acute Physiology and Chronic Health Disease Classification System II (APACHE II). A estatística descritiva e os testes de Wilcoxon e Qui-quadrado foram utilizados para comparação e proporção com nível de significância estabelecido em 5%. Foram selecionados 119 prontuários, distribuídos entre pacientes mantidos no leito GM (n= 82) e retirados do leito GR (n= 37), APACHE II com media de 26,7(9,02) para GM e de 24,6(9,04) para o GR e com mediana de tempo de internação de 7 dias para ambos. Neste estudo a retirada do leito não influenciou no tempo de ventilação mecânica assim como no tempo de internação na UTI.

 

Palavras–chave: Unidade de terapia intensiva; mobilização preccoce; ventilação mecânica.

Abstract

Early mobilization in mechanically ventilated patients in intensive care unit have been pointed as important factor for reduction in the days of hospitalization and benefits the gain of strength and possible reduction in the time of use the ventilatory prosthesis, therefore, this study check the relationship between withdrawn from bed with time of mechanical ventilation and days of hospitalization in the ICU. It is a retrospective, observational study, by analyzing medical records, with adult patients, of both sexes admitted to the ICU of  a public hospital in Campo  Grande – MS with a minimum of 24 hours. Data were collected on, data on age, gender, admission diagnosis, comorbidities, mechanical ventilation time, length of ICU stay, end of hospital stay, elapsed time to sit the patient on bedside for the first time, bed-withdrawal therapy and clinical severity classification according to the Acute Physiology and Chronic Health Disease Classification System II (APACHEII). Descriptive statistics and the Wilcoxon and Chi-square tests were used for comparison and proportion. A total of 119 patients distributed in two groups dividing the patients by restricted to bed GM (n= 82) and mobilization out of bed GR (n= 37) and APACHE II score of GM 26,7(9,02) – GR 24,6(9,04) and median seven days of hospitalization time for both groups. In this study withdrawn from bed did not influence time the mechanical ventilation and hospitalization time in the ICU.

 

Keywords:  Intensive   care   unit;   early  ambulation;  mechanical ventilation.

Sobre o Autor

Fisioterapeuta residente do Hospital Regional de Mato Grosso de Sul/Campo Grande/Mato Grosso do Sul/ Brasil.

Pronto Atendimento Médico/Hospital Regional de Mato Grosso de Sul/Campo Grande/Mato Grosso do Sul/Brasil

Coordenação ensino e pesquisa/Hospital Regional de Mato Grosso de Sul/Campo Grande/Mato Grosso do Sul/Brasil

Fisioterapia/Universidade Anhanguera – Uniderp/Campo Grande/Mato Grosso do Sul/Brasil

 

Autor para Correspondência

Tayanne Silva de Souza

Endereço: Rua: Coronel balduíno, 411, bairro: planalto, CEP: 79009-120 Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Fone: (67) 99254-5779.

E-mail: tayph[email protected]