×

CLASSIFICAÇÃO DA FUNCIONALIDADE DE IDOSOS CADASTRADOS EM UM PROGRAMA DE HIPERDIA

Amanda Costa1, Matheus Magalhães2.

1 Programa de Residência em Saúde da Família, Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), Recife, Pernambuco, Brasil.

2 Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, Pernambuco, Brasil.

Autor correspondente:

Matheus Gustavo Silva Magalhães.

Endereço: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Av. Prof. Moraes Rego, 1235, Cidade Universitária, Recife, Pernambuco, Brasil, CEP: 50670-901.

E-mail: [email protected]

Edição:

RESUMO

O envelhecimento somado a morbidades crônicas, a exemplo da hipertensão arterial sistêmica (HAS) e diabetes mellitus (DM), pode acarretar diminuição da capacidade funcional dos idosos. Programas incentivados pelo Ministério da Saúde, como o Hiperdia, são fundamentais para acompanhamento desse público na atenção primária a saúde. Nesse sentido, o presente estudo teve como objetivo avaliar a independência funcional de idosos cadastrados no programa Hiperdia de uma unidade de saúde da família (USF) do Recife. Trata-se de um estudo descritivo de corte transversal, cuja coleta de dados ocorreu em uma USF do Recife, envolvendo indivíduos do grupo Hiperdia, de ambos os gêneros e idade acima dos 60 anos. Após assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE), foi aplicado um questionário sociodemográfico e clínico (elaborado pela pesquisadora) e, posteriormente, a Medida de Independência Funcional (MIF). Os dados coletados foram organizados em planilha para uma análise descritiva. Participaram do estudo 26 indivíduos com idade média de 69,07±6,4 anos, a maioria do gênero feminino (76,92%), com diagnóstico de HAS (92,30%) e DM (57,69%). Com relação aos resultados da MIF, o domínio motor obteve média de 80±1,04 pontos, o domínio cognitivo 24,5±1,48 pontos e o escore total da escala foi de 114,3±7,41 pontos, caracterizando uma independência completa. Foi possível observar que os idosos avaliados foram classificados pela MIF em independência completa, facilitando a execução de ações da educação em saúde que incentivem a manutenção da funcionalidade e o acompanhamento integral desta população.

Palavras-chave: Saúde do idoso. Atividades cotidianas. Promoção da saúde.

ABSTRACT

Aging in addition to chronic morbidities, such as systemic arterial hypertension (SAH) and diabetes mellitus (DM), can lead to a decrease in the functional capacity of these elderly. Programs encouraged by the Ministry of Health, like Hiperdia, are essential for monitoring this public in primary health care. In this sense, the present study aimed to evaluate the functional independence level of elderly registered in the Hiperdia program of a family health unit (FHU) in Recife. This is a descriptive cross-sectional study, whose data collection took place in a USF in Recife, involving individuals from the Hiperdia group, of both genders and aged over 60 years. After signing the free and informed consent term (FICT) a sociodemographic and clinical questionnaire (prepared by the researcher) was applied and, later, the Functional Independence Measure (FIM). The collected data were organized in a spreadsheet for descriptive analysis. The study included 26 individuals with a mean age of 69,07±6,4 years, most of them female (76,92%), diagnosed with SAH (92,30%) and DM (57,69%). Regarding the FIM results, the motor domain had an average of 80±1,04 points, the cognitive domain 24,5±1,48 points and the total score of the scale was 114,3±7,41 points, characterizing a complete independence. It was possible to observe that the evaluated elderly were classified by the FIM as complete independence, facilitating the implementation of health education actions that encourage the maintenance of functionality and full monitoring of this population.

Keywords: Health of the elderly. Daily activities. Health promotion.